Delegado diz que homem atirou mais de 30 vezes contra jovem e bebê mortas em casa de Anápolis: 'Crueldade'

Delegado diz que homem atirou mais de 30 vezes contra jovem e bebê mortas em casa de Anápolis: 'Crueldade'

Familiares contaram à polícia que Laura Alves era ameaçada por um ex-namorado. Ele é suspeito de cometer o crime

25/01/2018 - 16:56 hs
Foto: (TV Anhanguera/Reprodução)
Delegado diz que homem atirou mais de 30 vezes contra jovem e bebê mortas em casa de Anápolis: 'Crueldade'
Laura Catrine da Conceição Alves foi morta a tiros com a filha em Anápolis (Foto: TV Anhanguera/Repr

A Polícia Civil informou nesta quinta-feira (25) que o autor dos disparos que atingiram Laura Catrine da Conceição Alves, de 21 anos, e a filha dela, de oito dias de vida, atirou 32 vezes dentro da casa das vítimas, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Responsável pelo caso, o delegado Renato Oliveira afirmou que não há dúvidas de que se trata de uma execução.

“O indivíduo que invadiu a casa foi para matar. Foram coletadas 32 cápsulas, mas nem todas atingiram as vítimas. A quantidade de tiros demonstra uma situação de raiva, de crueldade por parte do executor”, disse ao G1.

O crime ocorreu na quarta-feira (24), no Setor Las Palmas. Além da jovem e da filha, chamada Eloá, moravam na casa os pais dela e o irmão. No entanto, eles não estavam na residência no momento do crime.

De acordo com o delegado, o criminoso pulou o muro do imóvel e arrombou a porta da sala. Oliveira explicou que Laura correu com a recém-nascida para o quarto, mas o homem invadiu o cômodo. Após atirar, ele saiu pelo portão e fugiu em um carro.

Vizinhos ouviram os disparos e acionaram a polícia. A jovem foi encontrada morta com a filha nos braços.

Autor do crime

O delegado suspeita que o criminoso se trata de um ex-namorado da vítima, pois, conforme o relato de familiares, a jovem estava sendo ameaçada por ele, que é foragido do presídio de Jaraguá, a 85 km de distância.

“Nós vamos ter que ver certinho esta questão de relacionamentos anteriores, de ameaças que ela sofreu para realmente chegar neste ponto, se foi um feminicídio, se foi um crime passional ou não”, disse o delegado.

Os policiais analisam o celular da vítima e buscam por imagens de câmeras de segurança. “A gente está trabalhando de forma bastante intensa. Em breve, a gente espera desvendar o crime”, explicou.

Os corpos de Laura e da filha são velados em uma igreja evangélica do Setor Las Palmas. O enterro está previsto para as 17h no Cemitério São Miguel. (Com conteúdo do G1).