Jovem deu carona para amigo assassinar ex e depois o matou, diz polícia

Jovem deu carona para amigo assassinar ex e depois o matou, diz polícia

Polícia considera versão do suspeito, que nega acusações, como 'fantasiosa'. Segundo investigação, após matar Yone Novais, ex foi morto por amigo, que também irá responder por feminicídio

14/03/2018 - 16:23 hs
Foto: (reprodução)
Jovem deu carona para amigo assassinar ex e depois o matou, diz polícia
Jovem deu carona para amigo assassinar ex e depois o matou, diz polícia

A Polícia Civil afirmou que o autônomo Deyvid Rodrigues Gomes Chaves, de 28 anos, deu carona para o amigo, Marcos Alexandre Assis, de 31 anos, a matar a ex-namorada, Yone Gloria da Cunha Novais, 22 anos. Em seguida, ele teria ajudado na fuga e o assassinado. Apesar dele negar as acusações, a corporação diz não ter dúvidas da autoria dos crimes, ocorridos na terça-feira (14), em Trindade e Abadia de Goiás, respectivamente, ambas na Região Metropolitana de Goiânia .

Segundo o delegado Arthur Fleury, que apura a morte de Marcos Alexandre, Deyvid admitiu que levou o amigo de Abadia de Goiás até Trindade, mas não sabia da intenção dele de matar a ex. Em seguida, sustentou ainda que deu carona para o corretor sem saber que ele havia cometido o assassinato.

"Ele alegou que deu carona para o amigo até Trindade para que ele recebesse um dinheiro, mas não sabia de quem. Deyvid disse que não viu Marcos Alexandre atirar contra Yone, e deu carona de volta para ele até Abadia de Goiás, de onde tinham saído. A versão dele é de que, depois de ter deixado o amigo, ouviu um tiro e voltou para ver o que tinha ocorrido”, explica.

Fleury afirmou que a história não se sustenta e trata a versão como "fantasiosa", uma vez que a perícia já descartou a possibilidade de suicídio.

“A história dele não convence, é fantasiosa, a própria perícia constatou que foi um tiro de curta distância. A motivação está sendo investigada. Descartamos a hipótese de homicídio e a possibilidade de alguém ter seguido eles após o crime. Ele ficou ao lado do corpo se debatendo, forjando uma comoção que não nos convenceu, e foi preso pelos crimes”, destacou.

Já o delegado Vicente Stabile, que apura a morte de Yone, afirmou que também não tem dúvidas de que Marcos Alexandre é o responsável pelo assassinato.

"Para a polícia não há dúvidas de que o Alexandre matou a ex-namorada, foi ajudado pelo transporte feito por Deyvid, e morto pelo mesmo. O próximo passo da investigação é apontar o porquê de Deyvid ter matado o amigo”, pontua.

A mulher de Deyvid, no entanto, defende o marido. "Eu estava junto com ele quando na hora que o Alexandre chegou e pediu para levá-lo em Trindade para receber um dinheiro. Estou desesperada porque eu conheço meu esposo e sei que ele não tem coragem de fazer isso. Se ele [Alexandre] tivesse falado que ia matar a namorada, jamais ele teria feito isso porque meu marido não é desse tipo de pessoa", afirma Vanderléia da Costa.

Nenhum dos três tinha passagens pela polícia. Deyvid responderá tanto por homicídio em relação a Marcos Alexandre e por feminicídio pela participação na morte de Yone. Se condenado, pode pegar uma pena que varia entre 24 a 60 anos.

Morte em escada

Yone havia acabado de entrar no horário de intervalo e ia almoçar quando foi assassinada, de acordo com a chefe dela, a supervisora Maria Alcina Durães. Colegas correram para a escada logo após um disparo e encontraram a vítima.

"Eu ouvi um disparo, e ela caindo no pé das escadas. É muito difícil, porque, além de ela ser colega de trabalho, a forma como ocorreu deixou todo mundo muito abalado", disse Maria Alcina Durães. "Está sendo difícil estar emocionalmente equilibrada para estar aqui hoje, onde esta situação tão brutal, tão triste, ocorreu."

Os colegas foram liberados para ir ao velório da jovem, ocorrido no prédio da funerária Pax Silva. A entrada da imprensa no local não foi autorizada.

"Ela era muito calada, muito reservada, nunca havia comentado de ameaça. Ela tinha acabado de descer pra almoçar. Foi um susto, não conseguimos nem descrever. Nunca esperávamos", afirmou a chefe.

O tio de Yone, Julimar Ferreira da Cunha, disse que a jovem foi ameaçada logo após ao término do namoro, no último domingo (11). Foram apenas três meses de relacionamento, mas o bastante para perceber que Marcos Alexandre tinha uma personalidade violenta.

"Logo após terminar o namoro, ela recebeu ameaça por telefone. A mãe e a irmã aconselharam a denunciara, mas não denunciou e foi onde aconteceu o fato. Ele tinha um ciúme doentio", afirma.

O crime ocorreu em Trindade. Segundo a Polícia Civil, o ex-namorado da vítima chegou, eles conversaram um pouco, e depois ele atirou contra ela e fugiu. O corpo de Marcos Alexandre Morais de Assis, de 31 anos, foi encontrado pouco depois, em Abadia de Goiás.

Os corpos já foram enterrados, ambos no Cemitério Público Municipal de Trindade. Marcos foi sepultado às 12h. Duas horas depois, foi a vez de Yone.

Ameaças a outra ex

Suspeito de matar Yone Cunha Novais, Marcos Alexandre Morais de Assis já havia publicado no ano passado um vídeo em que fazia supostas ameaças a uma mulher com quem diz que se relacionou (assista acima). " Fica o recado: não adianta você me bloquear no Facebook, no WhatsApp. Você vai ficar comigo na cabeça para o resto da sua vida", afirma durante o vídeo.

A gravação foi divulgada em redes sociais no dia 4 de março de 2017. Ainda não há confirmação de quem seria a pessoa a quem ele se refere.

"Vou fazer esse vídeo para pessoas que vão lá e te bloqueiam no Facebook. Você pode até bloquear lá, mas na sua mente, vou ficar para o resto da sua vida. Não tem como apagar uma coisa que você viveu. Deixa de ser imatura, trouxa. [Você] faz o que você quiser. Fica o recado: não adianta você me bloquear no Facebook, no WhatsApp. Você vai ficar comigo na cabeça para o resto da sua vida, porque um dia você me deixou entrar na sua mente, no seu coração, na sua vida. Fiz parte. Não tem como você tirar. Pode até arrumar outra pessoa, viver outra vida, mas vai parar para pensar e ver o que eu fiz na sua vida, que fiz parte da sua vida", disse o homem no vídeo.