Rússia expulsa 60 diplomatas dos EUA e fecha consulado

Ação é uma represália à decisão americana de expulsar representantes russos em resposta ao envenenamento de ex-espião e sua filha no Reino Unido

Por Semaias Pereira 29/03/2018 - 17:25 hs
Foto: (Alexander Zemlianichenko/AP)
Rússia expulsa 60 diplomatas dos EUA e fecha consulado
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, anuncia a expulsão de 60 diplomatas

A Rússia anunciou nesta quinta-feira a expulsão de 60 diplomatas americanos como represália por uma decisão similar adotada na segunda-feira pelos Estados Unidos no caso do envenenamento do espião duplo Sergei Skripal.

Além disso, Moscou decidiu pelo fechamento do consulado geral americano na segunda maior cidade do país, São Petersburgo. Os diplomatas americanos, que foram declarados persona non grata, terão até 5 de abril para deixar a Rússia, segundo o ministério de Relações Exteriores do país.

O ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, já havia convocado o embaixador dos Estados Unidos em Moscou, Jon Huntsman, nesta quinta feira pela manhã para comunicar a decisão.

De acordo com o ministro, a mesma abordagem será aplicada a outras nações que expulsaram diplomatas russos nesta semana. Duas dúzias de países, incluindo nações da União Europeia e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), ordenaram a saída de mais de 150 diplomatas russos nesta semana, em demonstração de solidariedade ao Reino Unido.

Nesta semana, vinte e sete países já anunciaram a expulsão de mais de 150 diplomatas russos em represália ao envenenamento do ex-espião Serguei Skripal e sua filha no Reino Unido. Este país acusa a Rússia de ter utilizado uma substância química para matar o espião, algo que o Kremlin nega. Os Estados Unidos anunciaram a maior expulsão, um total de 60 diplomatas. Expulsões anunciadas até o momento:

Dezessete países da União Europeia (em azul no mapa acima) expulsaram 57 diplomatas russos: o Reino Unido expulsou 23 diplomatas russos; Alemanha, França e Polônia expulsaram quatro diplomatas cada; Lituânia e República Tcheca expulsaram três cada; dois diplomatas russos foram expulsos na Dinamarca, na Espanha, na Holanda, na Itália e na Romênia; e, por fim, Croácia, Estônia, Finlândia, Hungria, Letônia, Bélgica, Irlanda e Suécia expulsaram um russo cada.

– Outros quatro países europeus expulsaram mais 17 diplomatas russos: Ucrânia (13 expulsos), Albânia (2), Macedônia (1) e Noruega (1), Montenegro (1)

Diversos países da União Europeia informaram que ainda pretendem expulsar outros diplomatas enviados por Moscou, enquanto o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, falou que “não foram excluídas medidas adicionais” no âmbito da União nos próximos dias.

América do Norte

– O Canadá anunciou a expulsão de quatro diplomatas russos

– Os Estados Unidos irão expulsar 60 diplomatas da Rússia: como retaliação ao ataque contra Skripal, os americanos estão expulsando 48 diplomatas da Embaixada russa em Washington e 12 diplomatas da Missão da Rússia junto às Nações Unidas (ONU) em Nova York. Além disso, os americanos anunciaram o fechamento do Consulado-Geral da Rússia em Seattle, no noroeste do país, devido a sua proximidade à base da Boeing (que, além de aviões, produz equipamento militar) e de uma base de submarinos. Washington acusa os oficiais expulsos de terem realizado tarefas de inteligência sob o manto da imunidade diplomática.

Oceania

– A Austrália anunciou a expulsão de dois diplomatas russos.

Otan

– A Otan anunciou a expulsão de sete diplomatas e negou credencial a outros três. (Com EFE e Reuters).