Prefeito interino de Niquelândia, Leo Ferreira, segue exemplo do tio e ex-prefeito do munícipio Valdeto Ferreira, e deixa alunos da zona rural sem aula

A reportagem do portal de notícias primeiraedicao.online, foi procurada por pais de alunos da região do Machadinho em Niquelândia, para denunciar a falta de aula em varias regiões da zona rural

Por Semaias Pereira 13/06/2018 - 22:52 hs
Foto: (reprodução)
Prefeito interino de Niquelândia, Leo Ferreira, segue exemplo do tio e ex-prefeito do munícipio Valdeto Ferreira, e deixa alunos da zona rural sem aula
Leo Ferreira, prefeito interino

No que será sua ultima semana à frente da prefeitura municipal de Niquelândia, na condição de prefeito (interino), o vereador Leo Ferreira, tem seguido o mesmo exemplo de seu tio, e ex-prefeito da cidade, Valdeto Ferreira, que teve seu mandato cassado pelo Superior Tribunal Eleitoral (STE), após denúncia de improbidade administrativa e ser reconhecido como político “ficha-suja”. Na condição de prefeito do município Leo Ferreira, não conseguiu regularizar a questão da volta às aulas, em algumas regiões do munícipio, principalmente a zona rural. 

A reportagem do portal de notícias primeiraedicao.online, foi procurada por pais de alunos da região do Machadinho em Niquelândia, para denunciar a falta de aula em varias regiões da zona rural. 

“Não tem aula para nós aqui na zona rural, os alunos aqui, se quer completaram um bimestre estudando!  No mês de maio não teve se quer um dia letivo, e no mês de abril, teve poucas aulas, e desde maio até agora não teve aula se quer um dia; e nossos alunos estão a um passo de perder o ano letivo. Isso está complicado”. Diz o pai de um aluno, que reside na região do Machadinho, zona rural do município de Niquelândia.

IMBLOGLIO ENVOLVE EDUCAÇÃO E PREFEITURA

A equipe de reportagem do primeiraedicao.online, confirmou ainda que o impasse da educação na zona rural, nada tem a ver com a questão de transportes, que passou a ser custeado pelo governo estadual, mas envolve um imbróglio educacional envolvendo professores e a administração do prefeito interino Leo Ferreira. 

ACERTOS COM EDUCAÇÃO 

Professores de todo  o município, decidiram paralisar as aulas devido os constantes atrasos na folha de pagamento na gestão Valdeto Ferreira, tio do prefeito interino Leo Ferreira, a situação entre a administração de Valdeto e a educação foi tão calamitosa que professores chegaram a amargar até cinco meses sem receberem salário, mas a situação foi regularizado com o prefeito interino, o que garantiu assim, a volta a aulas para a alunos da zona urbana do município, enquanto alunos da zona rural, amagam dias a fio, tendo o direito constitucional á educação tolhido por administrações desastrosas e politicas fracassadas.  

O portal de notícias primeiraedicao.online, tentou contato com o prefeitio interino, mas não obteve resposta. 

Profissionais a educação ouvidos pela nossa reportagem, afiram que tem falto pulso e direção do atual administração, e tem expectativas que o prefeito eleito, no último dia 03 de junho, consiga regularizar a situação.