Como usar o diminutivo na hora de vender um imóvel

Confira as dicas

19/06/2018 - 01:35 hs
Foto: (reprodução)
Como usar o diminutivo na hora de vender um imóvel
Como usar o diminutivo na hora de vender um imóvel

Dizer que você tem uma “casinha” de campo no interior pode significar coisas diferentes dependendo do contexto; ou que é uma casa pequenina em suas dimensões, ou que você não quer se gabar de suas posses ou até que tem um vínculo afetivo com seu imóvel. Ou seja, o diminutivo pode significar várias coisas, no caso de exemplificado em tamanho, humildade e afetividade.

Porém, o mais comum é utilizar o diminutivo para indicar uma diminuição de tamanho, mas o contexto deve ser sempre levado em consideração tanto para a utilização como para a interpretação, pois determina emoções e intenções do emissor, inclusive com depreciação e ironia.

Além disso, um cuidado com os diminutivos eruditos se faz necessário, pois o processo de sufixação (Formação da parte final da palavra) não necessariamente é terminado em –inho. Como vemos em “versículo” (verso); “grânulo” (grão); “partícula” (parte); “nó” (nódulo).

Veja alguns exemplos do uso do diminutivo:

Diminuição de tamanho

A edícula foi construída naquele terreninho da rua de baixo.

Reforçar Sentido

A estande de vendas ficou bem limpinho.

Abrandar o sentido

Nós demos uma entradinha simbólica para segurar o negócio.

Afeto

O apartamento tem uma vista linda da varandinha.

Forma consolidada

O casal quebrou o cofrinho (poupança) para pegara as chaves do imóvel novo.

Ironia

O precinho do terreno não agradou o investidor.