Carta deixada por ciclista suspeito de matar amante em hotel de Goiânia era para a esposa, diz polícia

No bilhete, o homem pede perdão a mulher; ele morreu após o crime, em um acidente na BR-153. Polícia aguarda laudos e quer colher depoimento dos cônjuges das vítimas para concluir inquérito

23/06/2018 - 00:02 hs
Foto: (Facebook/ Reprodução)
Carta deixada por ciclista suspeito de matar amante em hotel de Goiânia era para a esposa, diz polícia
Geane foi encontrada morta em quarto de hotel; suspeito, Marcos morreu depois em acidente

A Polícia Civil revelou que a carta deixada pelo ciclista Marcos Lima dos Santos, de 38 anos, suspeito de matar a amante, Geane Silva de Oliveira, de 32 anos, em um hotel de Goiânia, era direcionada à esposa dele. No texto, ele pede desculpas para a mulher - que se chama Sônia. O homem morreu depois de deixar o local do crime, em um acidente na BR-153, também na capital.

De acordo com a delegada Magda D'Ávila, responsável pelo caso, agentes da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH) estiveram na casa de Marcos quinta-feira (21), quando descobriram a informação.

"Eles foram até o local atrás de pistas, mas não encontram ninguém. Entretanto, conversando com vizinhos, descobriram que Sônia é a esposa do Marcos e que viajou para a Bahia, onde o marido foi sepultado", disse à reportagem

Na carta, Marcos pede perdão à Sônia e afirma que a situação “acabou nisso” após “uma briga muito feia”.

“Desculpas, Sônia, por tudo que eu fiz, mas nós estávamos em relacionamento já tinha um ano e estava muito complicado. Nós dois tivemos um desentendimento, uma briga muito feia e acabou nisso, me perdoe”, diz a carta.

A delegada disse que tentou contato com Sônia, mas ainda não conseguiu. Ela aguarda o retorno dela para Goiânia para colher seu depoimento. Magda também quer ouvir o marido de Geane, que está no Pará, onde a mulher foi enterrada.

"O intuito é pegar mais informações para entender como era o relacionamento dos dois e configurar, de fato, o feminicídio", pontua.

Outras testemunhas ligados ao dois também serão ouvidas. Além disso, a delegada aguarda os laudos periciais para poder concluir o inquérito, pois há a suspeita que ela tenha sido envenenada, apesar de ter sido encontrada com cortes pelo corpo. (Com conteúdo do G1).