Paulo Borrachinha nocauteia Johny Hendricks em NY e desafia Derek Brunson

Em sua estreia em eventos internacionais do UFC, brasileiro aumenta para 11 a sequência de nocautes na carreira e diz que será a próxima lenda brasileira na organização

05/11/2017 - 12:55 hs
Foto: (Jason Silva)
Paulo Borrachinha nocauteia Johny Hendricks em NY e desafia Derek Brunson
Paulo Borrachinha desafiou Derek Brunson após vitória

Lutando pela terceira vez no UFC, e a primeira fora do Brasil, justamente no card principal do UFC 217, no Madison Square Garden, o peso-médio Paulo Borrachinha não decepcionou e conquistou mais um nocaute - o décimo-primeiro em 11 lutas como profissional. Desta vez, a vítima foi o ex-campeão dos pesos-meio-médios, Johny Hendricks, a 1m23s do segundo assalto. Após a luta, falando em inglês, Borrachinha agradeceu a Hendricks por ter aceitado enfrentá-lo e desafiou Derek Brunson.

- É a primeira vez que eu luto na maior arena do mundo. Obrigado Johny Hendricks por ter mostrado que tem coração e coragem por ter aceitado lutar comigo. Chegou a hora da nova geração, e eu vou ser a próxima lenda brasileira do UFC. Obrigado, Brasil, e a minha terra, Minas Gerais. E você, Derek Brunson, estou te esperando. Quero lutar com você - disse Borrachinha após a luta.

A luta começou com Borrachinha tomando a iniciativa do combate, atacando Hendricks com chutes baixos e altos. O ex-campeão dos meio-médios fintava para tentar abrir espaço para encaixar seu direto de esquerda e se aproximar para derrubar. Na primeira tentativa, o brasileiro defendeu a queda e partiu para o contra-ataque atingindo a linha de cintura do americano. Hendricks sentia os golpes, e se movimentava para não ficar acuado na grade. Borrachinha atacava com força na curta distância, aplicando joelhadas e chutes, enquanto Hendricks lutava buscava o contragolpe. Quando acertava seus golpes, o americano via Borrachinha sorrir e pedir que ele fosse para cima, como se não os tivesse sentido.

Johny Hendricks voltou para o segundo round se movimentando melhor e buscando os chutes baixos atacar Borrachinha. O brasileiro atacava com força, e defendia as tentativas de queda do americano com golpes duros e certeiros. A resistência do ex-campeão aos poucos foi diminuindo, e ele aplicava golpes a esmo para tentar se livrar da pressão imposta por Borrachinha. Mas, logo após uma nova sequência de golpes na segunda metade do round, o americano sentiu e dobrou os joelhos, forçando o árbitro John McCarthy a interromper o combate, decretando o nocaute técnico de Hendricks, que sofreu a quinta derrota nas seis últimas lutas.

Stephen Thompson dá aula contra Jorge Masvidal e vence por pontos no retorno ao MSG

Como você se recupera de duas lutas frustrantes sem vitória contra o campeão mundial peso-meio-médio? No caso de Stephen Thompson, com um show de precisão e técnica para lembrar a todos quem é o número 1 da divisão. O lutador americano deu uma aula de caratê contra o compatriota de raízes cubanas Jorge Masvidal neste sábado, no card principal do UFC 217, e saiu com uma vitória por decisão unânime (30-26, 30-27, 30-27) no evento realizado no Madison Square Garden, em Nova York - mesma sede de sua primeira luta contra Tyron Woodley, um empate - em março passado, ele foi derrotado numa contorversa revanche.

- Eu fiz meu melhor hoje, mas todo mundo sabe que vou seguir correndo atrás do título. Hoje não foi minha melhor atuação, mas estava afastado por uma lesão no joelho por oito meses e queria muito retornar ao Madison Square Garden - disse o humilde Stephen Thompson.

Como em suas duas lutas contra Tyron Woodley, Thompson tomou o centro do cage, e Masvidal optou por circular pelo lado externo. Os dois se estudaram bastante nos minutos iniciais e soltaram apenas chutes baixos. Thompson tentou um pontapé alto que encostou o rosto de Masvidal; o americano descendente de cubanos sorriu e debochou, com um beijinho. Ele arriscou algumas combinações em seguida, mas também não teve sucesso. Mais rápido, Wonderboy conectou com uma combinação de socos retos, e fez Masvidal cair sentado com um pontapé na linha de cintura. Foi o momento mais agudo de um round tático e sem grandes emoções.

O segundo assalto começou com mais atividade de ambos os lados. Thompson conectava seus cruzados, e Masvidal emplacou uma sequência de golpes após uma tentativa em vão de derrubar com um single leg. Wonderboy conseguiu um knockdown com um cruzado de esquerda, mas o lutador da ATT rapidamente se levantou. Thompson dominou a partir daí, confundindo Masvidal com sua movimentação e golpes rápidos do caratê.

Masvidal voltou a buscar quedas no início do terceiro e último round, mas seu adversário mostrou ótima defesa e capacidade de escapar da pegada. Frustrada a entrada de Masvidal, Wonderboy voltou a dominá-lo com movimentação lateral e golpes rápidos e cirúrgicos, como diretos e pontapés laterais. Masvidal pareceu se frustrar e tentou partir para a briga, mas seu oponente era astuto e capcioso demais. Mesmo com uma ferida abaixo do olho direito, Thompson jamais esteve sob perigo, e pontuou com facilidade até o final.