China prende cristãos que se opuseram à remoção da cruz de uma igreja

China prende cristãos que se opuseram à remoção da cruz de uma igreja

A China, país comunista, permite o culto a algumas religiões, mas proíbe qualquer influência estrangeira

16/11/2017 - 18:18 hs
Foto: (Elizabeth Dalziel/AP/VEJA)
China prende cristãos que se opuseram à remoção da cruz de uma igreja
Igreja controlada pelo Estado em Pequim, na China

A polícia chinesa deteve sete membros de uma igreja cristã por eles tentarem impedir que uma cruz fosse retirada de seu templo, de acordo com informações divulgadas nesta terça-feira pela imprensa estatal. Os sete, que não tiveram suas identidades reveladas, foram detidos na província de Zhejiang, que tem uma população cristã em expansão e onde os cristãos dizem que as autoridades têm removido cruzes das igrejas desde o ano passado.

A China, país comunista, permite o culto a algumas religiões, mas proíbe qualquer influência estrangeira. Os católicos chineses devem obrigatoriamente seguir a Associação Católica Patriótica Chinesa, versão da Igreja Católica que segue os preceitos do Partido Comunista chinês. O Vaticano não reconhece os padres e bispos nomeados pela associação.

A agência de notícias estatal Xinhua afirmou que os sete foram detidos por suspeita de acumular grandes quantidades de dinheiro na condução da igreja, desviar doações e instigar pessoas a perturbarem a ordem social. “Com base em nossa compreensão atual da situação, essas acusações são falsas”, disse Chen Jiangang, advogado que representa um dos sete detidos. (Com agência Reuters).