Polícia registra homicídios durante comemorações do título do Grêmio no RS

Duas pessoas morreram baleadas e uma com facadas durante comemoração de torcedores nas cidades de Ibiraiaras, Passo Fundo e Rio Grande

30/11/2017 - 15:15 hs
Foto: (Rádio Nativa FM Ibiraiaras)
Polícia registra homicídios durante comemorações do título do Grêmio no RS
Marcas de sangue de uma das vítimas fatais em Ibiraiaras

Três pessoas morreram no Rio Grande do Sul, na madrugada desta quinta-feira (30), durante comemorações da conquista do tricampeonato da Libertadores pelo Grêmio. Os homicídios ocorreram nas cidades de Ibiraiaras, Passo Fundo, ambas na Região Norte, e em Rio Grande, no Sul do estado.

Por volta das 2h, um homem identificado como Jean Carlos de Souza, de 24 anos, foi morto a facadas no Centro de Ibiraiaras. Ele estava com um grupo de amigos comemorando a vitória do Grêmio, quando teve início uma briga generalizada.

Durante a confusão, Jean foi ferido com golpes de faca, e levado para o hospital da cidade, mas não resistiu e morreu. O responsável pelo crime fugiu do local, e ainda não foi identificado pela polícia.

Em Passo Fundo, um jovem de 18 anos morreu no Hospital São Vicente de Paulo durante a manhã. Natan Regis dos Santos Renz foi baleado na cabeça por volta das 3h.

De acordo com a polícia, ele comemorava com amigos a vitória do Grêmio, quando foi surpreendido por um jovem que seria ex-namorado de uma das mulheres que estava junto com o grupo.

O suspeito efetuou quatro disparos, sendo que um atingiu a cabeça de Natan. O responsável pelos tiros já foi identificado, e é um homem de 24 anos. A polícia trabalha com hipótese de crime passional.

Em Rio Grande, a vítima fatal foi um jovem de 21 anos, baleado por volta das 2h30 na Avenida Major Carlos Pinto, tradicional ponto de encontro de torcedores, onde o público comemorava o título gremista.

O jovem foi identificado como Douglas Paz dos Santos. Uma equipe do Samu chegou a ser acionado, mas quando a equipe chegou ao local, ele já estava morto. O caso será investigado pela Polícia Civil, mas ainda há suspeitos.