EXCLUSIVO: Vereador Erivaldo Mendanha (Piqui), fala da inclusão de Niquelândia na RIDE-DF, e situação política do municipio

Vereador Erivaldo Mendanha (Piqui), fala da inclusão de Niquelândia na RIDE-DF

Por Semaías Pereira 08/01/2018 - 09:14 hs
Foto: (reprodução Facebook)
EXCLUSIVO: Vereador Erivaldo Mendanha (Piqui), fala da inclusão de Niquelândia na RIDE-DF, e situação política do municipio
Vereador Erivaldo Mendanha (Piqui), fala da inclusão de Niquelândia na RIDE-DF

Eleito vereador pelo município de Niquelândia-Goiás, a vida política do então vereador Erivaldo Mendanha, mais conhecido por (Piqui), começou a sofrer um revés, em meados de Setembro de 2016. Já na reta final da campanha que o conduziria ao segundo mandato como vereador; uma denuncia protocolada junto a Justiça Eleitoral, quase o tira da vida pública. 

Denunciada no dia 09 de setembro, o juiz eleitoral só veio a acatar a mesma no dia 22 daquele mês, já na reta final das eleições municipais, deixando o então candidato impossibilitado de assumir a cadeira, na Câmara Municipal de Vereadores, caso fosse eleito

Alertado de sua situação jurídica pelos seus advogados, o jovem Piqui, pensou seriamente em desistir da campanha. Segundo palavras do próprio vereador foi um banho de água fria. Mas em reunião com seus familiares e fieis apoiadores, e na certeza de que não havia dolo ou culpa em seus atos que poderiam implicar em condenação na justiça eleitoral, Erivaldo Mendanha, decidiu dar continuidade ao trabalho realizado.  Assegurado por seus advogados de que o indeferimento no registro de sua candidatura era de ordem injusta, logo a própria justiça reverteria à situação. 

Eleito vereador por Niquelândia, Erivaldo Mendanha (Piqui), com 301 votos, a principio sua candidatura foi deferida, e posterior a denunciada, já no apagar das luzes eleitorais de 2016, teve seu registro impugnado. 

O período de processo e afastamento a que sofreu o vereador Erivaldo Mendanha (Piqui), foi de aproximadamente um ano, mas sua confiança em Deus, e bom relacionamento com sua equipe de advogados, trouxeram-lhe segurança pessoal. O disputou a campanha de reeleição, foi eleito, mas terminou impedido de assumir o mandato. Mesmo fora do exercido para a função, para o qual foi eleito, Erivaldo Mendanha (Piqui), manteve o seu presente e continuo contato com a população. Mas a maior falta foi não poder dar continuidade aos projetos já realizados, na sua primeira gestão como vereador. Para o vereador, que pertence aos quadros do partido PSD, estar fora da Casa de Leis do Município é como a paralisação dos sonhos.

Entre os principais projetos apresentado por Erivaldo Mendanha (Piqui), em seu primeiro mandato, estão o Plano de Saúde Ipasgo para os servidores públicos municipais; a Feira Sabores e Artes, que tem sido um referencial de emprego e renda para dezenas de famílias niquelandenses, e também uma referência de encontro para centenas de pessoas.  Também é de idealização do vereador Erivaldo Mendanha (Piqui), o requerimento junto ao Deputado Rogério Rosso do DF, aprovado na Câmara dos Deputados em Brasília, a inclusão do município de Niquelândia na RIDE-DF (Região Integrada de Desenvolvimento Econômico).

DE VOLTA À CASA

Erivaldo Mendanha (Piqui) foi vitorioso em recurso apresentado junto ao Superior Tribunal Eleitoral, e todos os sete ministros da corte, votaram a favor do vereador.  A sua posse como vereador eleito pelo município de Niquelândia-Goiás, deu-se no dia 26 de Outubro de 2017, e desde então tem dado continuidade ao seu honroso trabalho. 

IDEALIZADOR  DA INCLUSÃO DE NIQUELÂNDIA NA RIDE-DF

Segundo o vereador Erivaldo Mendanha (Piqui) a inclusão de Niquelândia, na RIDE-DF “Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno - RIDE-DF”, já passou pela Câmara dos Deputados Federais, e está aguardando pauta para votação no Senado, e posteriormente, sanção presidencial.

A inclusão de Niquelândia na RIDE-DF, permite que a cidade, tenha acesso a linhas de crédito especiais, junto ao governo federal, e junto ao próprio governo do Distrito Federal, segundo palavras do vereador, na prática a capital do níquel, passará a ter dois governadores, por estar ligada aos estados de Goiás e Distrito Federal.  E lembra ainda que a capital da república esteja sobrecarrega quanto a questões de saúde e educação, e quanto mais organizada for à região do entorno, mais desafogada estará a capital federal, esse é o verdadeiro foco da RIDE.

O vereador Erivaldo Mendanha (Piqui),  tem feito diversas articulações políticas, para acelerar o projeto de inclusão da cidade de Niquelândia, na RIDE-DF, e para isso, já realizou uma série de reuniões, com a Senadora Lucia Vânia, o Senador Wilder Moraes, articulou também prefeitos de Flores de Goiás, Alvorada do Norte-GO, e diversos prefeitos interessados na inclusão deste projeto. 

SITUAÇÃO POLÍTICA DE NIQUELÂNIA, E ATUAL GESTÃO DO PREFEITO VALDETO FERREIRA

Dono de um trabalho cada vez mais voltado para o bem e interesse da população, Erivaldo Mendanha (Piqui), mostra-se, meio que claudicante quando o assunto é o prefeito Valdeto Ferreira, a nossa reportagem tentou por diversas vezes colher do vereador qual seu ponto de vista, sobre o péssimo trabalho do atual prefeito, bem como Valdeto Ferreira ser considerado pela população como o pior administrador do município ao longo de mais de dois séculos de emancipação política do município, mas o vereador se limitou a dizer que: “tem trabalhado, cada dia, e cada vez, com fé e a certeza que a cidade de Niquelândia, pode ser melhor".

Pelas horas de conversa com o vereador Erivaldo Mendanha (Piqui), fica as lições de um jovem, sonhador, que está em seu segundo mandato como vereador, e já deixou boas marcas de colaboração na política de sua cidade, e até mesmo fora dela, foi candidato a Deputado Estadual, nas eleições de 2014, e teve uma modesta votação. 

Erivaldo Mendanha (Piqui) é uma luz que brilha e está entre as promessas políticas de Niquelândia, mas o que se percebe, é uma luz, presa, e de pouco brilho, aos poucos tem sido ofuscado pelas mazelas e estrangulamento das finanças publica pelo atual prefeito, e se lhe faltar forças e coragem para desvincular sua imagem do prefeito “mãos-sujas”, amanhã, essa mesma luz que brilhou em bons projetos como a inclusão de Niquelândia no RIDE, e a FEIRINHA, pode ter o mesmo destino da escuridão e solidão política em que amargou o hoje aliado Valdeto Ferreira, ao longo dos vinte anos que viveu no ostracismo da vida publica, e em sua volta, como prefeito, deve ser outra vez impedido de estar à frente da prefeitura, por decisão unânime dos ministros do TSE.

Não só o vereador Erivaldo Mendanha (Piqui), mas todos os secretários, vereadores e aliados do atual prefeito, que insistem em manter postura silenciosa diante da mais tacanha de todas as administrações, estão perdendo e muito, de um lado ganham com aquele, mas por outro perdem com o povo