Suspeito de sequestrar menina Nicole em João Pessoa é preso em GO após nove meses foragido

Maécio Damacena foi preso na cidade de Luziânia. Transferência para a PB deve ser feita no fim de janeiro

22/12/2018 - 15:51 hs
Foto: Divulgação/Polícia Civil de Goiás
Suspeito de sequestrar menina Nicole em João Pessoa é preso em GO após nove meses foragido
Maécio Damacena foi preso em Goiás nove meses depois do sequestro de Nicole em João Pessoa

Mais de nove meses depois do crime, foi preso na sexta-feira (21) em Luiziânia, Goiás, o jovem Maécio Damacena Silva, de 27 anos, suspeito de sequestrar a menina Nicole Paiva, de sete anos, em João Pessoa. A prisão foi feita pela Polícia Civil de Luiziânia e a informação foi confirmada neste sábado (22) pelo delegado-geral da Polícia Civil da Paraíba, João Alves.

Nicole desapareceu no bairro de Mangabeira, no dia 9 de março, com um rapaz que estava recebendo ajuda de Ana Maria Paiva, mãe da criança. Ele saiu com a menina para comprar comida e não voltou mais. A vítima foi achada 18 dias depois do sequestro em um sítio do avô de Maécio na cidade de Penaforte, no Ceará.

“Fui informado da prisão do suspeito, que após a audiência de custódia deve ser levado a algum presídio em Goiás, e já estamos preparando a documentação para pedir a Justiça a autorização de transferência para a Paraíba, onde ele responde a um processo por subtração de criança. Considerando o recesso forense de fim de ano, essa transferência só deve ser feita em 2019, no final de janeiro ou no início de fevereiro”, explicou João Alves.

A prisão aconteceu após a Polícia Civil de Goiás receber denúnicias de que o suspeito estaria trabalhando em fazendas na cidade de Cristalina. Ao longo de 90 dias de investigação, a polícia descobriu onde Maécio estava morando e foi até o local, quando descobriu que ele se mudou para a cidade de Luziânia. Uma nova investigação foi feita e o mandado de prisão preventiva foi cumprido na fazenda onde ele estava morando.

Antes de ser preso em Goiás, Maécio Damacena, de 27 anos, chegou a ser visto nos estado de Pernambuco e Ceará. O suspeito já cumpriu pena por roubo e furto no Ceará, de acordo com a Polícia Civil. Além disso, as autoridades também investigam se o homem já cumpriu pena pela Lei Maria da Penha, no município de Salgueiro, em Pernambuco.

“Ao chegar na Paraíba ele vai ser interrogado, haja vista que não houve isso no processo uma vez que ele estava foragido. Em seguida, ele deve ser encaminhado ao presídio e, a depender do depoimento dele, podem haver outros desdobramentos deste caso e, inclusive, de outros crimes que ele pode ter cometido”, completou o delegado-geral da Polícia Civil da Paraíba.

Como foi o desaparecimento de Nicole

De acordo com Ana Maria Paiva, mãe de Nicole, após dez anos sem encontrar o suspeito, ele foi à casa dela, pedindo ajuda e afirmando que estava à procura de emprego. “E eu então apoiei ele, ele mostrou toda a confiança. Aí ele pediu para acordar por volta das 5h da manhã, para ir na Caixa Econômica de Mangabeira, para ele sacar o dinheiro dele. A gente saiu cedo”, contou.

Ela ainda explicou que a menina estava com fome e o suspeito se ofereceu para levá-la para comer. “E eu disse ‘tu dá mesmo?’. Ele disse ‘dou, tu me espera aí que já eu volto’. Aí que esperei e estranhei a demora. Aí eu fui até a casa de Mangabeira procurando ele, não encontrei, voltei para a Caixa Econômica e ele não estava”, disse a mãe.

Após prestar queixa na Delegacia da Infância e Juventude de João Pessoa, Ana Maria Paiva foi informada de que o homem teria alugado um carro e ido para a cidade de Recife com a menina. Ele teria dito ao motorista que o veículo seria usado durante a mudança de sua irmã, da capital pernambucana para João Pessoa. No entanto, segundo a mãe da garota, ao chegar no local, ele desceu do carro afirmando que iria sacar o dinheiro para realizar o pagamento, mas não retornou.

Nicole foi encontrada machucada

Segundo informações da polícia, quando Nicole foi encontrada ela estava muito machucada e não quis fazer o exame sexológico no Ceará, por isso realizou os exames necessários em João Pessoa e em Campina Grande. Além disso, roupas da criança também foram recolhidas para tentar encontrar vestígios do suspeito.

Conforme o na época delegado do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil (GOE), Allan Terruel afirmou que a menina também demonstrou dificuldades para se locomover e contou que o suspeito batia nela para que ela pedisse comida. “Ela estava muito chateada, muito machucada, com os pés lesionados, rosto com hematoma e disse que apanhou. Uma cena muito triste, se não fosse a polícia localizar essa menina, ela ainda estaria sofrendo”, disse.

Criança voltou a morar com a mãe

A menina Nicole voltou para a casa da mãe no dia 11 de abril. Quando a criança foi encontrada na cidade de Penaforte, no Ceará, e encaminhada de volta à Paraíba, ela ficou abrigada em uma casa de acolhimento, por orientação do Conselho Tutelar. De acordo com a Primeira Vara da Infância e Juventude, Nicole voltou para casa da família após uma audiência.

Segundo informações da psicóloga da Vara da Infância, Vitória Gonçalves, o Ministério Público da Paraíba (MPPB) solicitou uma antecipação de audiência e o juiz acatou o pedido, após avaliações sociais e familiares do MPPB. A criança tinha um vínculo muito forte com a mãe e chorava muito com saudades, questão levada em consideração na decisão final. (Conteúdo do G1).